Tesão pelo cunhado.

Dizem que o desejo de todo marido é comer a cunhada, não sei porque, mas também nunca tive coragem de perguntar pro meu marido, mas o certo é que esse desejo não deve ser só dos maridos porque desde que me casei sempre tive um tesão incontrolável pelo meu cunhado, e olha que ele não é nem um pouco mais bonito, nem tem um corpo escultural, é uma coisa inexplicável esse tesão e esse desejo de possuí-lo.

Muitas vezes trepei com meu marido desejando que fosse o meu cunhado que tivesse em cima de mim, fodendo loucamente a minha buceta com sua vara que eu imaginava ser bem maior e mais grossa que a do meu marido. Quando eu estava sozinha em meu quarto, não tinha como não pensar nele a me penetrar, meus pensamentos voavam e quando eu dava por min já estava com a minha buceta toda molhada, aí não tinha jeito acabava me tocando, e enquanto esfregava meu grelinho sussurrava por seu nome até sentir meu gozo jorrar.

Era difícil cruzar com ele dentro de casa a toda hora e fingir que não estava morrendo de tesão, esse tormento durou alguns anos até a minha separação, e esse fato nos tornou mais próximos e mais amigos, o que proporcionou a possibilidade de podermos sair juntos pra festas e baladas e em outros eventos da nossa cidade.

Como a separação era recente eu evitava ficar muito próximo ou até me declarar pra ele, pra evitar comentários de que a separação teve alguma coisa a ver com ele. Depois de um tempo numa dessas baladas ao sair já de madrugada meu cunhadinho, se ofereceu pra me deixar em casa, pois já era muito tarde e arriscado pra uma mulher sozinha voltar pra casa, lógico que não recusei, aceitei na hora já cheia de má intenção.

Quando chegamos à minha casa, eu já estava cheia de tesão, minha buceta parecia estar pegando fogo, piscava como um vagalume e eu sentia minha calcinha molhada. Convidei-o pra entrar um pouquinho, e ele aceitou sem reservas, já tomada de muita excitação o envolvi em meus braços e o beijei com vontade, e ele correspondeu, eu não podia perder mais tempo, tinha que aproveitar essa oportunidade, foi um beijo delicioso, quente cheio de desejo, e como o cunhadinho beijava bem!!!

Coloquei a mão em sua pica e alisei por cima da calça, depois desabotoei e segurei sua vara quentinha em minha mão, passei o polegar na cabeça que já estava molhadinha, fui descendo até me ajoelhar e encostar aquela pica quentinha em meu rosto, senti o cheiro dela e depois a beijei e fui passando a língua em toda sua extensão até envolve-la em minha boca e sentir o sabor meio adocicado, meio salgado do seu liquido transparente, e mamar gostoso sua pica que eu tanto desejei tê-la me penetrando.

Enquanto eu mamava, meu cunhado acariciava meus cabelos e forçava minha cabeça fazendo me engolir sua pica até a cabeça tocar na minha garganta, eu chupei gostoso até sentir seu gozo jorrar na minha boca, saboreei aquela porra grossa e quentinha e depois engoli tudo.

Levantei me e beijei meu cunhado com volúpia, tirei sua roupa e também a minha e o levei pra minha cama, queria saciar meu tesão e meu desejo reprimido há tanto tempo por ser casada com seu irmão e também por não ter tido coragem de me declarar pra ele.

Deitamos na cama e comecei a beija-lo, acariciar seu corpo nu ao meu lado, e contei pra ele do meu tesão por ele desde quando era casada com seu irmão, das trepadas que dava com meu marido imaginando ser a pica dele a me penetrar, das vezes que sozinha me tocava sussurrando seu nome até atingir um gozo maravilhoso.

Nisso seu pau foi reagindo até ficar latejando e duríssimo, e eu com uma vontade louca de ser logo penetrada e desfrutar daquela ferramenta que eu sempre imaginei ser mais grossa e maior que do seu irmão, e era, meu cunhado já bastante excitado levou sua mão até a minha buceta e enfiou o dedão lubrificando com meu líquido, depois introduziu lentamente no meu cuzinho.

Depois passou a chupar minha bucetinha melada, chupar meu grelinho já duro, enquanto fodia meu cuzinho com seu dedo levando-me a loucura e arrancando de mim mais um gozo alucinante. Cheio de tesão me colocou de quatro e foi logo metendo sua vara na minha buceta, me fodendo como um desesperado, finalmente eu estava sendo arrombada pela vara do meu cunhado que eu sempre sonhei.

Ele fodia e me chamava de vadia, puta, vagabunda, piranha, que estava adorando foder sua cunhadinha gostosa, meu tesão aumentava a cada estocada daquela pica gostosa na minha buceta e eu implorava!!!

– Iiissooo… me fooode gostooooso cunhado…. arregaça minha buceta….. acaba com meu tesão…. me faz gozar na sua pica!!!

Meu cunhadinho urrou e despejou jatos de porra na minha buceta e me levando a outro gozo fantástico, acabei perdendo as forças e caindo sobre a cama com ele por cima de mim ainda com a pica dura cravada na minha buceta, ficamos assim até seu pau amolecer e sair de dentro de mim liberando sua porra e fazendo-a escorrer até o lençol.

Foi uma foda deliciosa, mas eu ainda não estava satisfeita, já que tinha surgido a oportunidade eu queria o serviço completo. Depois de um descanso comecei a chupar aquela pica até ela ganhar vida nova, quando senti que ele estava em ponto de bala fiquei de quatro novamente e pedi:

– Vem cunhado gostoso…. enterra essa pica gostosa no meu cu….. arromba o meu cu… arromba…. – ele veio por trás de mim e lambeu bem meu buraquinho, meteu sua língua la dentro e deixou bem molhadinho e de novo veio me fuder.

Foi metendo sua rola grossa no meu cuzinho até o talo, entrou tudo, eu deitei pra sentir todo seu peso em cima de mim e a potência da sua pica no meu cu, me fazendo gemer de prazer como uma putinha bem safada sabe fazer, enquanto eu gemia na sua rola ele metia forte esfolando meu cuzinho.

Meu prazer só aumentava e suas estocadas também, meu macho estava prestes a gozar mais uma vez, e cada estocada do seu pau no meu cu, fazia meu grelinho rocar no lençol, que sensação mais gostosa.

Ele anunciou seu gozo, e o meu não demorou, explodimos juntos num gozo alucinante mais uma vez, ele urrava e enchia meu cuzinho de porra e eu molhava o lençol com o meu. Caímos de lado cansados e acabamos adormecendo abraçadinhos em formato de conchinha.

Quando acordamos o dia já estava claro e seu pau flácido ainda estava dentro de mim, tomamos banho juntos e mais uma vez mamei sua pica até ele gozar na minha boca, depois me confessou que também sempre me desejou e que muitas vezes já havia se masturbado pensando em mim, mas nunca ousou me cantar por medo da minha reação, com medo que eu contasse pro seu irmão.

Agora passamos a nos encontrar sempre, pra fodermos gostoso e recuperarmos o tempo perdido, se o desejo do marido é comer a cunhada, muitas mulheres tem o mesmo desejo de comer o cunhado, se você também sente tesão pelo cunhado, crie coragem e se revele pra ele, garanto que foder com o cunhado é gostoso demais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: