Briga de casal.

Era uma noite mais fria que as anteriores, tanto que mesmo eu que gosto de frio, estava mais agasalhado. Por um motivo que não me recordo, havíamos brigado e você resolveu ir deitar mais cedo sem ao menos dar boa noite. Eu continuei assistindo TV na sala até que o sono começasse a chegar. O filme não era tão envolvente e cochilei. Só depois de uns 40 minutos acordei de sobressalto e resolvi ir deitar também. Acendi a luz indireta para não incomodar e vi que você não estava bem coberta. Delicadamente cheguei bem perto para ajeitar o cobertor e ver sua bundinha um pouco descoberta me deixou excitado.

Você estava de calça comprida de pijama, de forma que qualquer tentativa minha necessitaria primeiro tirar esse empecilho. Esquentei bem minhas mãos para não acordar você com o choque térmico e habilmente fui tirando sua calça. Assim que metade de sua bundinha estava de fora, parei e fiquei algum tempo observando. Lembro que fiquei orgulhoso em saber que eu posso usufruir de tudo aquilo, pois é só meu…

Passado o momento observação, continuei puxando lentamente sua calça. Sua posição dificultava um pouco pois estava deitada meio de lado e com uma das pernas ligeiramente dobrada. Por mais larga que fosse o cós da calça, seria necessário desdobrar sua perna, sem acorda-la. Lentamente posicionei a perna de forma que a calça pode finalmente ser retirada. Você estava sem calcinha e assim que voltei sua perna na posição original, pude ver um pouco sua bucetinha.

Minha intenção era chupar você até que você acordasse com tesão. Não me sentia bem pelo fato de você ir dormir brava comigo, principalmente sem um motivo plausível. Peguei meu travesseiro e posicionei perto do seu joelho e em seguida apoiei a sua perna dobrada sobre ele, de forma que abri mais espaço para colocar minha cabeça entre suas pernas e alcançar sua bucetinha com minha língua.

Passei lentamente a língua, em movimentos suaves e circulares. Às vezes subia mais e passava a língua entre o rego da sua bundinha. Também dava delicadas mordidas e beijos nela. Nem preciso dizer que nesse momento meu pau já estava totalmente duro, mas eu queria que você acordasse lentamente e com muito tesão para somente então permitir que ele entrasse no jogo. Menos de 10 minutos depois que comecei, percebi que você estava emitindo sinais de excitação. Talvez para você parecesse um sonho já que estava dormindo profundamente.

Aproveitei que você se mexeu para se ajeitar e a virei totalmente de bruços, mas me certificando que sua cintura ficasse mais erguida em relação a cama. Praticamente ficou com o bumbum empinado. Assim também consegui abrir um pouco mais suas pernas e minha língua conseguiu explorar mais fundo a sua bucetinha. Dessa forma, agora você realmente se mostrou excitada, embora ainda estivesse sonada. Acho que era uma sensação equivalente a estar embriagada. Continuei chupando você muito suavemente, como se estivesse experimentando uma fruta muito saborosa.

Você foi despertando e então se deu conta do que estava realmente acontecendo. Primeiramente me xingou, disse que eu era um cachorro que se aproveitou do fato de você estar dormindo, mas logo se ajeitou para facilitar ainda mais o meu acesso e também para sentir mais prazer. Rapidamente sua bucetinha ficou molhada e eu senti um líquido viscoso e quente saindo dela. Ainda de bruços, você empinou bem a bundinha e quando eu subia para lamber seu cuzinho, você ajuda a abrir com as mãos. Não demorou muito e você gozou gostoso na minha boca e eu não parei de chupar. Então você me olhou com um sorriso bem safado e disse que agora era sua vez de me chupar.

Pediu que eu deitasse e primeiro beijou minha coxa enquanto suas mãos brincavam com minhas bolas e então foi subindo até que abocanhou a minha pica. Molhou com bastante cuspe e chupava como se estivesse com um pirulito na boca. Às vezes passava apenas a ponta da língua na cabeça, que latejava de tanto tesão. Percebi que sua raiva havia passado totalmente e você chupava tão gostosos que por três vezes pedi para você parar senão eu iria gozar.

Aproveitando que eu estava deitado, você começou a subir beijando minha barriga, depois meu peito, pescoço, até me dar um longo, molhado e delicioso beijo na boca. Depois sussurrou baixinho no meu ouvido, pedindo para eu foder você. Pedi para você subir um pouco mais até que senti meu pau bem posicionado na entrada da sua buceta. Empurrei bem devagarinho, mas tirei em seguida. Você pediu mais e mordeu os lábios de tesão. Novamente empurrei e voltei, queria judiar um pouquinho. Então você usou sua mão e direcionou a cabecinha bem na entrada e empurrou o corpo para trás de forma que entrou tudo de uma vez.

Você levantou seu tronco e ficou montada, iniciando uma cavalgada lenta mas firme. Eu podia sentir meu pau entrando e saindo da sua bucetinha, que estava quente e nessa posição você também guiava para sentir o máximo de prazer. Rapidamente, o quarto ficou quente e já não parecia mais a noite fria que estava pouco antes. Novamente você gozou e eu senti meu pau sendo apertado como se sua buceta estivesse mordendo ele. Foi uma sensação incrível. Em seguida você deitou sobre meu peito, com a respiração ofegante e ainda cansada dos efeitos do gozo.

Deixei que você ficasse assim um pouco e depois a virei de lado e meti na sua buceta, deitado por trás de você. Com uma das mãos eu podia mexer no seu grelinho, enquanto entrava e saia de você. Também conseguia pegar seu seio e beijar seu pescoço, te dando ainda mais vontade.

Dessa posição, foi natural que eu te colocasse de joelhos, eu atrás de você, minha pica posicionada no meio do seu rego, uma das mão passando por todo seu corpo e a outra segurando sua cintura. Eu dava pequenas mordidinhas na sua orelha, enquanto sussurrava sacanagens. Você não parava de rebolar e então me pediu para meter no seu cuzinho. Se me pau estava duro, ao ouvir seu pedido ele ficou como se fosse uma barra de ferro.

Então, como sou muito obediente, resolvi atender sua solicitação. Primeiro brinquei com um dedo passando em volta do seu cuzinho, sentindo ele pulsar, aos poucos eu dava uma investida um pouco mais profunda mas logo tirava para que ele me desse o ritmo da penetração. Peguei um pouco de lubrificante, passei no dedo indicador e lambuzei você também. Não parei de falar sacanagens para você e também queria deixa-la bem calma e relaxada pois essa é a melhor receita para não doer.

Aos poucos você foi se soltando e eu sabia que já estava pronta. Peguei novamente o tubo de lubrificante, passei no meu pau e mais um pouco em você. Não usei a mão para direcionar, mas apenas nossos corpos foram dirigindo meu pau para aquele orifício que agora já estava bem relaxado. Quando você sentiu a cabeça na porta e fiz um pequeno movimento para entrar e você gemeu. Parei e você pediu para continuar, mas devagar. Empurrei mais um pouquinho e senti que não havia resistência.

Passei uma das mãos pela sua cintura e a outra desci até seu grelinho. Estava duro e quente. Passei lentamente o dedo em movimentos circulares. Puxei sua cintura para trás, de forma que senti que mais um pouco havia entrado. Os movimentos de vai e vem eram mínimos, para que eu tivesse certeza que não machucaria você.

Agora já havia passado toda a cabeça e você estava realmente relaxada e excitada. Pediu para eu colocar mais e mais, até que senti que estava todo dentro. Os movimentos de espasmos são bem mais fortes que os provocados pela sua buceta e isso aumentou muito meu tesão.

Você não parava de rebolar enquanto meu pau entrava e sai, deslizando bem gostoso nas entranhas quentes e apertadas do seu cuzinho. Você dizia que estava uma delícia e pedia para eu não parar. Eu nem pensava em parar e também estava achando uma delícia. Então você disse que iria gozar novamente mas queria que eu gozasse junto. O tesão aumentou e só me lembro de você dizendo para encher o seu cu de porra.

Gozamos muito e foi muito lindo ver minha porra escorrendo de dentro de você. Em seguida, nos beijamos e dormimos abraçados. De manhã, fomos para o banho juntos e transamos muito gostoso no chuveiro, em pé. Gosto disso pois parece que é uma transa roubada, escondida. Acho que vou querer que você fique brabinha comigo mais vezes…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: