Aprendendo a ser gente grande.

Meu nome é Gisela, tenho hoje 22 anos e moro em São Paulo. Quando eu tinha 18 anos estudava em um colégio na zona norte e fiquei muito amiga de Maria Amélia, eu vivia na casa dela e ela na minha. Seus pais tinham um sitio no interior onde passávamos juntas as férias e muitos... Continue lendo →

Uma delícia de babá.

Meu nome é Carlos Eduardo, sou casado e essa história é sobre uma garota contratada para cuidar do meu filho, chamada Bruna. Ela é filha de uma amiga da minha mulher. Eu conheci a menina durante um almoço, na minha casa, apresentada pela minha mulher. Uma garota muito bonita, simpática, que me pareceu um pouco... Continue lendo →

No cuzinho é mais gostoso.

Na primeira vez que transei, quando perdi a virgindade, achei que sexo era uma coisa chata. Eu estava apaixonada pelo meu namorado, talvez por isso eu tenha aceitado a sua proposta insistente, até me excitavam a suas carícias e beijos, sua boca nos meus seios, suas mãos nas minhas coxas e pescoço, mas quando entrou,... Continue lendo →

Tarado na vizinha.

Quando estava com 22 anos, morava em um apartamento sozinho e tinha como vizinhos um casal sem filhos. A esposa chamava se Tânia e tinha 35 anos. Era sempre muito agradável e educada comigo, e as vezes conversávamos no elevador. Ela tinha cabelo castanho claro até os ombros, olhos verdes, nariz afilado e era bastante... Continue lendo →

Banquete Requintado.

Já fazia mais de dois meses que nos encontrávamos às escondidas, depois de muito penar para consegui fazer com que a menina confiasse em mim, afinal eu era casado, tinha quase o dobro de sua idade (38 x 20) e tinha meu tempo limitado, exatamente pela minha condição conjugal. Até conseguir levá-la pra cama foi... Continue lendo →

Fodi gostoso com o amigo do meu marido.

Tenho 25 anos, sou baixinha, loira, coxas grossas e um corpo bem definido, quando ando na rua todos olham e mexem comigo, sou casada há 6 anos mas estamos juntos na verdade há 11 anos. Meu marido, Vitor, tem 28 anos e também é baixo e tem uma barriguinha avantajada de cerveja, geralmente o nosso... Continue lendo →

Putinha do professor.

A aula dele era no laboratório de informática, todas as terças. Ele, coroa gato de 40 anos, casado, jovial, cabelo liso, grisalho, que teimava em cair no rosto e que ele tirava com um gesto sexy de passar os dedos entre os fios e jogar pra trás, sempre com um sorriso safado, 1,75 m, jeito... Continue lendo →

A sobrinha safada do titio.

Quando casei nem bem conhecia os parentes da minha mulher. Já fazia dois anos que estávamos juntos, quando ela me falou de uma sobrinha que queria vir morar com a gente pra terminar seus estudos. Pois na cidade onde ela morava não tinha o tipo de curso que ela pretendia fazer. Eu primeiro pensei um... Continue lendo →

A primeira vez que liberei o cu.

Embora eu não quisesse admitir – para os outros, mas principalmente para mim – eu sempre tive vontade de tentar fazer anal. Meu lado feminista, claro, me fazia negar: sexo anal só dá prazer para o homem, e que era um absurdo e aquela bobagem toda. Durante um tempo eu consegui me convencer disso, e... Continue lendo →

Deflorando a enteada gostosa.

Tenho 37 anos, sou moreno, alto 1,81, um corpo definido com apenas um ligeira barriguinha, uso barba e tanto ela como meus cabelos são grisalhos. Sou divorciado e tenho uma filha do primeiro casamento e há pouco mais de nove meses fui morar com uma mulher que era um caso, Leila, numa cidade do interior... Continue lendo →

Virgem aos 32 anos.

Sempre fui uma pessoa muito tímida e envergonhada, resultado da educação, cheia de repreensões, prisão e de muito medo, imposto pelos meus pais, principalmente minha mãe, dei meu primeiro beijo na boca aos 16 anos e sempre evitava me relacionar com as pessoas, muito caseira e recatada, tive o meu primeiro namorado aos 26 anos,... Continue lendo →

Loira, casada e dando pro tio bem dotado.

No final do ano, meu marido Carlos estava bem entusiasmado com as festas. Principalmente porque seu tio Willian viria passar o natal e o ano novo conosco. Todo dia ficava falando do tal tio, contando histórias do passado às nossas filhas. Quando estávamos sós, me narrava passagens picantes. Uma delas foi a vez que ele... Continue lendo →

Era uma vez uma professora linda e recatada.

Há 4 anos, quando eu estava terminando a Faculdade, vivi um tórrido caso amoroso com uma professora. Chamava-se Maria Helena e era toda linda: 35 anos, alta, rosto bonito, pernocas torneadas, sorriso contagiante, um colírio para os nossos olhos, os seus alunos! Não preciso dizer que todos nós estávamos caídos de quatro por ela e... Continue lendo →

Tinha cara de santa, mas era devassa.

Camila não era o tipo de mulher de parar o transito, mas era gatinha. não era alta, nem tinha o corpo todo malhado, nem pele bronzeada com marquinha sol gostosa na cintura ou seios, não chamava a sua atenção, só se você olhasse com cuidado, você notaria suas pernas fortes, de panturrilhas grandes, sua pele... Continue lendo →

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: